Barack Obama já divulgou um comunicado no Twitter, no qual refere que "não podia estar mais orgulhoso por felicitar o próximo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a próxima primeira-dama, Jill Biden". O ex-presidente norte americano felicitou também "Kamala Harris e Doug Emhoff [marido de Kamala] pela inédita eleição de Kamala como vice-presidente" e elogiou ainda o número recorde de eleitores mesmo perante estas "circunstâncias nunca antes vividas", reiterando que "quando todos os votos tiverem sido contados, o presidente eleito Biden e a vice-presidente eleita Harris vão ter vitória decisiva e histórica".

Obama referiu ainda que Biden “tem o que é preciso para ser presidente” e que “quando entrar na Casa Branca, em janeiro, vai enfrentar uma série de desafios extraordinários que nenhum outro presidente em início de funções alguma vez enfrentou — uma pandemia, uma economia e sistema de justiça desiguais, uma democracia em risco e o clima em risco”.

Apelou ainda a que todos os americanos lhe deem "uma hipótese" e "apoio", referindo que os resultados destas eleições revelaram que "o país continua profundamente e amargamente divido" e que caberá a cada um dos americanos "fazer a sua parte".

O ex-presidente terminou com um agradecimento a todos os que trabalharam, organizaram e se voluntariaram para a campanha de Biden, e relembrou que para que a democracia dure precisa de “cidadania ativa e foco sustentado nos assuntos, não apenas durante as eleições mas também entre eleições".

O candidato derrotado por Joe Biden nas primárias democratas Bernie Sanders também já o felicitou pela vitória.

"Quero felicitar todos aqueles que trabalharam tão arduamente para tornar possível este dia histórico", escreveu o democrata, afirmando que agora vão "criar um governo que funcione para todos e não para poucos".

"Criemos uma nação construída sobre a justiça, não sobre a ganância e o fanatismo", concluiu Bernie Sanders.

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, declarou no Twitter: “Mantivemos a república!”.

“Parabéns a Joe Biden pela sua vitória pela alma do nosso país. Parabéns a Kamala Harris por fazer história. É o tempo de curar e o tempo de crescermos juntos. E Pluribus Unum”, acrescentou.

A candidata democrata nas eleições de 2016, Hillary Clinton, agradeceu a todos os que tornaram esta vitória eleitoral possível.

"Os eleitores falaram e escolheram @JoeBiden e @KamalaHarris como próximo presidente e vice-presidente. É um momento histórico, o repúdio de Trump, e uma nova página para a América. Obrigado a todos os que ajudaram a fazer isto acontecer. De agora em diante, juntos".

Do lado republicano, o senador Mitt Romney felicitou Joe Biden e Kamala Harris, descrevendo-os como pessoas de "boa vontade" e de "caráter admirável".

"Rezamos para que Deus os abençoe nos dias e anos por vir", concluiu.

O ex-presidente norte-americano Bill Clinton também se dirigiu ao presidente eleito à vice-presidente eleita através da sua conta de Twitter.

"A América falou e a democracia venceu. Agora temos um Presidente eleito e uma Vice-Presidente eleita que nos servirão a todos e que nos reunirão. Parabéns a Joe Biden e Kamala Harris pela vossa importante vitória!", escreveu.

Outro ex-presidente norte-americano que se manifestou sobre a eleição de Biden foi Jimmy Carter, que declarou que ele e a sua mulher, Rosalynn, estão "orgulhosos desta campanha bem conduzida" e que esperam "ver as mudanças positivas que trarão à nossa nação".

No Canadá, as primeiras manifestações vêm do primeiro-ministro, Justin Trudeau, que felicitou Joe Biden pela vitória nas eleições, através do Twitter.

"Parabéns,@JoeBiden e @KamalaHarris. Os nossos países são amigos próximos, parceiros e aliados. Partilhamos uma relação que é única no palco mundial. Estou ansioso para que possamos trabalhar em conjunto", lê-se na publicação.

A chanceler alemã, Angela Merkel, congratulou Biden e a "a primeira vice-presidente eleita na história do país", Harris, pela vitória anunciada e destacou a importância da "amizade transatlântica", que considera “indispensável” para lidar com “desafios atuais".

Outro dos líderes mundiais a reagir foi o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que deu os parabéns a Biden "pela sua eleição como Presidente dos Estados Unidos da América" e a Kamala Harris pela “conquista histórica”.

"Os EUA são o nosso mais importante aliado e espero que trabalhemos juntos de perto nas nossas prioridades, desde as mudanças climáticas ao comércio internacional e segurança”.

Numa curta publicação, o presidente francês, Emmanuel Macron, congratulou também o presidente eleito e a vice-presidente eleita.

“Os americanos escolheram o seu Presidente. Parabéns @JoeBiden e @KamalaHarris! Temos muito a fazer para superar os atuais desafios. Vamos trabalhar em conjunto!”, lê-se no seu tweet.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, felicitou "o povo norte-americano e as suas instituições pela sua prova excecional de vitalidade democrática" e mostrou-se, também, pronto para colaborar com Joe Biden e assim "reforçar a relação transatlântica".

“Os Estados Unidos podem contar com a Itália como um aliado firme e um parceiro estratégico", publicou Conte na sua conta no Twitter.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, deixou também uma mensagem.

“O povo americano escolheu o 46º Presidente dos Estados Unidos da América. Parabéns @JoeBiden e @KamalaHarris. Desejamos-lhe sorte e as maiores felicidades. Estamos desejosos de cooperar consigo para enfrentar os desafios que nos esperam”, publicou na sua conta do Twitter.

Numa declaração enviada à Agência Lusa, o Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, “saúda Joe Biden, Presidente-eleito dos EUA, de acordo com os resultados eleitorais anunciados” e disse esperar que as relações entre os dois países se continuem “a estreitar no futuro”.

“Com a certeza de que as relações entre Portugal e os Estados Unidos da América, com mais de duzentos anos de história, se continuarão a estreitar no futuro, a bem dos dois Países e de todos os seus cidadãos, nomeadamente o milhão e meio de Portugueses e luso-descendentes que ali vivem”, refere.

“Mais espera, também, um aprofundamento das relações entre a União Europeia e os EUA, bem como no quadro da Nato”, acrescenta o chefe de Estado.

O primeiro-ministro português, António Costa, congratulou Biden pela vitória e referiu que espera "em breve" poderem trabalhar "no reforço das relações transatlânticas e na gestão de assuntos globais, como as alterações climáticas, a defesa da democracia e a segurança internacional".

O presidente do PSD, Rui Rio, também felicitou Joe Biden, através do Twitter, pela anunciada eleição como Presidente dos Estados Unidos da América, dizendo "Parabéns, sr. Presidente. Uma vitória muito importante para o mundo".

Catarina Martins, coordenadora nacional do Bloco de Esquerda, também já reagiu. Através do Twitter mencionou a derrota de Trump, acrescentando que numas "eleições muito participadas, com inúmeros riscos, o ódio não ganhou", acrescentando que "isso é uma boa notícia".

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, felicitou "calorosamente" Joe Biden pelo anúncio da vitória nas eleições presidenciais norte-americanas, através da rede social Twitter, e destacou que “a União Europeia e os Estados Unidos são amigos e aliados” e que os "cidadãos partilham as ligações mais profundas".

"Espero ansiosamente por trabalhar com o presidente eleito Biden”, concluiu.

Numa declaração oficial publicada no Twitter, refere ainda que a instituição "está pronta a intensificar a cooperação com a nova administração e o novo congresso para enfrentar os desafios prementes" para ambos os blocos, que têm "uma parceria transatlântica sem precedentes enraizada na história comum e nos valores partilhados da democracia, liberdade, direitos humanos, justiça social e economia aberta".

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, também se manifestou e congratulou Joe Biden e Kamala Harris pela vitória nas eleições, afirmando que a União Europeia está preparada para uma "forte parceria transatlântica".

"A União Europeia está a acompanhar de perto as eleições presidenciais e do congresso nos Estados Unidos. Tomamos nota dos últimos desenvolvimentos no processo eleitoral e, nesse âmbito, a UE felicita o presidente eleito Joe Biden e a vice-presidente eleita Kamala Harris", afirma na declaração partilhada através da rede social Twitter.

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), Jens Stoltenberg, felicitou Joe Biden pela vitória anunciada e descreveu-o como um "forte apoiante da NATO e das relações transatlânticas".

À semelhança das reações de grande parte da comunidade internacional, afirmou que está "ansioso por trabalhar de perto com a nova administração", por forma a "reforçar ainda mais os laços entre a América do Norte e a Europa".

"Uma NATO forte é boa para a América do Norte e boa para a Europa. Juntos, os aliados da NATO representam quase mil milhões de pessoas, metade do poder económico mundial e metade do poder militar mundial. Precisamos desta força coletiva para lidar com os muitos desafios que enfrentamos, incluindo uma Rússia mais assertiva, terrorismo internacional, ameaças cibernéticas e de mísseis, e uma mudança no equilíbrio global do poder com a ascensão da China", refere a declaração.

O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, também se dirigiu a Joe Biden e Kamala Harris, através de uma publicação na rede social Twitter.

"Os nossos melhores desejos para o próximo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e para a vice-Presidente, Kamala Harris. O mundo precisa de uma relação forte entre a Europa e os Estados Unidos, especialmente nestes tempos difíceis", publicou.

"Esperamos trabalhar em conjunto para combater a covid-19, as alterações climáticas, e combater a crescente desigualdade".

"Felicito calorosamente o presidente eleito, Joe Biden, e a vice-presidente, Kamala Harris. A afluência recorde dos eleitores expressa a vontade de mudança do povo americano", escreveu Josep Borrell, alto representante da União Europeia para a Política Externa, que salientou ainda tratar-se de "num grande dia para os Estados Unidos e a Europa".

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro congratulou o povo americano pelas "eleições presidenciais" e Joe Biden e Kamala Harris pela vitória.

Numa segunda publicação, Maduro afirmou que a "Venezuela, pátria do libertador Simón Bolivar, estará sempre disponível para o diálogo e para um entendimento com o povo e o governo dos Estados Unidos”.

As felicitações da Austrália e da Nova Zelândia também já chegaram.

Jacinda Ardern, primeira-ministra neozelandesa, deixou uma mensagem no Twitter para o Presidente e a vice-Presidente eleitos dos Estados Unidos: "Com os muitos temas que enfrenta a comunidade internacional, a vossa mensagem de unidade é algo que também partilhamos. A Nova Zelândia espera trabalhar convosco".

Num comunicado emitido pelo seu Governo, a primeira-ministra trabalhista destacou que a "Nova Zelândia vai continuar a trabalhar lado a lado com os Estados Unidos nos assuntos que importam aos dois países, incluindo a prosperidade, a segurança e a sustentabilidade nas regiões do Indo-Pacífico e nas ilhas do Pacífico".

O primeiro-ministro conservador australiano, Scott Morrison, também via Twitter congratulou a dupla: "Felicidades a Joe Biden e Kamala Harris. A Austrália deseja-vos os maiores êxitos nos cargos. A aliança Austrália-Estados Unidos é profunda e duradoura, assente em valores comuns".

- Australia wishes you every success in office. The Australia-US Alliance is deep and enduring, and built on shared values. I look forward to working with you closely as we face the world’s many challenges together.

[Artigo atualizado às 9h17 de dia 8 de novembro - Inclui as reações dos chefes de Governo da Austrália e da Nova Zelândia] 

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.