A Polícia Federal (PF) foi a responsável pela detenção de Eduardo Cunha, que vai aguardar julgamento em prisão preventiva. O ex-presidente da Câmara dos Deputados está indiciado no mega-escândalo de corrupção Lava Jato.

Eduardo Cunha é conhecido por ter sido o "arquiteto do impeachment" da presidente Dilma Rousseff.

"Foi preso em Brasília, podemos confirmar", disse um assessor da PF à agência AFP. A prisão foi decretada no âmbito da Operação Lava Jato, informou a Polícia Federal. O ex-deputado será levado para Curitiba até ao final da tarde.

A prisão de Eduardo Cunha foi determinada pelo juiz federal Sérgio Moro, que analisa os processos em primeira instância da operação Lava Jato.

Eduardo Cunha é investigado por ter supostamente recebido 5 milhões de reais (1,4 milhões de euros) em subornos pagos em contas secretas na Suíça, que foram abastecidas com dinheiro desviado de contratos de exploração de petróleo da petrolífera estatal Petrobras em África.

A polícia também cumpre um mandado de busca e apreensão em uma casa de Eduardo Cunha na cidade do Rio de Janeiro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.