As entidades governamentais informaram ainda que pelo menos dez pessoas ficaram feridas no ataque.

No autocarro seguiam turistas de origem vietnamita e dois indivíduos egípcios - o motorista do autocarro e o guia.

O artefacto explosivo, de fabrico caseira, foi colocado na rua, junto a um muro, e explodiu quando o autocarro passou no local, explicou o Ministério do Interior egípcio em comunicado, acrescentando que as forças de segurança e uma equipa do Ministério Público foram para o local para começar as investigações.

A explosão ocorreu perto das pirâmides de Gizé, no Cairo, um ponto de atração turística central no Egito.

O embaixador do Vietname no Egito, Tran Thanh Cong, já visitou o local no ataque e o Hospital Al Haram, onde as vítimas estão a ser tratadas, informou o ministério.

O primeiro-ministro egípcio afirmou que os feridos foram transportados para o hospital de El Haram, onde o guia acabou por morrer durante uma cirurgia.

Mustafa Madbuli acrescentou que o autocarro saiu do caminho determinado pelo Ministério do Interior para veículos de turismo e não informou às autoridades da alteração de rota.

Este é o primeiro ataque contra turistas estrangeiros a causar mortes, depois de o país ter estado a recuperar os níveis de atividade turística, que tinham sofrido uma quebra desde 2011.

*Com agências

[Última atualização às 9h06 de dia 29 de dezembro] 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.