Na última ação de campanha, em frente ao edifício do Governo Regional, à Rua Zarco, no Funchal, Raquel Coelho apelou ao voto no PTP, apesar de reconhecer o desencanto de muitas pessoas face aos casos de corrupção a que assistem na vida política regional e nacional.

"Mas quero dizer que existe ainda gente boa na política e que existe ainda gente digna, com seriedade e com honestidade", disse, lembrando os vereadores que o Partido Trabalhista Português teve na Câmara Municipal do Funchal e que "não se vergaram aos grandes interesses".

Recordou ainda que "o PTP teve pessoas na política que abdicaram dos seus lugares, que renunciaram ao cargo de vereadores porque, precisamente, não compactuavam com este tipo de compadrio, com este tipo de negócios mal explicado e que deixaram o seu poleiro porque não estavam dispostos a cumprir com estes comportamentos menos dignos que muitos partidos levam a cabo na política regional madeirense".

"Por isso, o apelo que faço às pessoas é que olhem, de facto, para o historial de luta, e político, de cada partido e quero assegurar que nem toda a gente está na política por interesse, para se beneficiar, que há gente que até perde por estar na política por defender os madeirenses e porto-santenses", referiu.

Raquel Coelho trouxe igualmente à memória o caso de José Manuel Coelho [o controverso deputado, ex-PND e PTP, e seu pai] que, enquanto diretor dos semanários Garajau e Quebra-costas, tem sido alvo de várias sentenças judiciais.

"Temos o caso do José Manuel Coelho, por ser diretor de um jornal onde se denunciava a corrupção, foi condenado a penas de cadeia, portanto, nem toda a gente está na política para se favorecer", assegurou, apesar de reconhecer que, num cenário político com 17 partidos concorrentes às eleições de domingo, "ainda existe muita gente hesitante, confusa, sem saber em quem votar. E o grande desafio vai ser votar bem porque há muita gente desanimada, já não acredita na política e nos políticos".

O PTP, em 2015, conseguiu eleger um deputado.

As eleições regionais legislativas da Madeira decorrem domingo, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional.

PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR são as 17 candidaturas validadas para estas eleições, com um círculo único.

Nas regionais de 2015, os sociais-democratas seguraram a maioria absoluta - com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.