"É preciso que os madeirenses abram os olhos, que não se deixem enganar por esta propaganda enganosa dos órgãos de comunicação social, completamente controlados por grupos económicos. [Estes grupos] controlam também os três principais partidos da região, que praticamente querem levar estes grupos económicos ao colo", alertou a candidata do Partido Trabalhista Português.

Durante uma ação de campanha junto ao Hospital Central do Funchal, a candidata afirmou que os interesses empresariais "sugam os recursos dos madeirenses e dos porto-santenses", e "já controlam a comunicação social", sobretudo a impressa e também a televisão.

"O PTP está a fazer uma iniciativa política para denunciar aquilo que tem sido a discriminação dos órgãos de comunicação social”, queixou-se.

Raquel Coelho deu como exemplo o facto de o PTP ter sido hoje excluído de um debate televisivo com os partidos com representação parlamentar, apesar de ter assento na Assembleia Legislativa da Madeira desde 2011.

"[Este comportamento] alarga-se a todos os órgãos de comunicação social, sobretudo os impressos, que nos excluem das notícias, das fotografias e, inclusive, das sondagens. Tentam censurar aquela que é a nossa força junto do eleitorado madeirense, tentam esconder o nosso trabalho, as nossas denúncias, as nossas propostas que apresentamos na Assembleia Legislativa", realçou.

Para a cabeça de lista do PTP, a influência dos grupos económicos tem diversas consequências, incluindo no setor da Saúde, no qual existem "60 mil atos médicos em lista de espera" ou pessoas "largadas e abandonadas" em hospitais.

Isto porque, explicou Raquel Coelho, "o dinheiro é derramado não no essencial, não naquilo que é prioritário como é o caso da saúde, mas no assistencialismo, nas festas e naquele que é o objetivo número um destes três principais partidos [PSD, CDS e PS] que a região tem, que é a manutenção e o alcance do poder".

O PTP elegeu um deputado nas regionais de 2015.

As eleições legislativas da Madeira decorrem no domingo, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional.

PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR são as 17 candidaturas validadas para estas eleições, com um círculo único.

Nas regionais de 2015, os sociais-democratas seguraram a maioria absoluta - com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.