O grupo DCMJ, a favor da legalização de erva, disse que distribuiu 8.500 cigarros durante a tomada de posse de Donald Trump, tendo tido uma resposta espetacular por parte do público, diz a AFP.

Um dos organizadores do evento revelou que enrolou charros durante as três semanas anteriores, declarando ainda que espera que o novo governo não se intrometa na legalização de erva em Washington, aprovada em 2014.

A este respeito, importa lembrar que Jeff Sessions, nomeado por Trump como novo Procurador-Geral, é um conhecido crítico da legalização de erva.

Com a distribuição dos charros, prosseguiu o organizador e ativista, "damos as boas-vindas aos simpatizantes de Trump, de (Hillary) Clinton e de Bernie (Sanders). Qualquer um que defenda a [legalização da] erva é bem vindo".

"Queremos que as pessoas saibam que a erva é legal aqui em DC (Washington) e queremos que continue assim. A nossa mensagem para Trump é: deixe as coisas como estão".

Em 2014, a erva foi legalizada no Distrito de Columbia (onde se situa a capital dos EUA, Washington DC) para uso medicinal e recreativo, mas não para venda comercial.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.