“Convido a todos, especialmente os países islâmicos, a tomar medidas eficazes contra os ataques que Israel dirige à mesquita de Al Aqsa, Jerusalém e às casas dos palestinianos”, escreveu o chefe de Estado turco no Twitter.

“Um ataque contra a mesquita de Al Aqsa e os templos muçulmanos significa, ao mesmo tempo, um ataque contra nós”, acrescentou o Presidente, numa breve comunicação, citada hoje pela agência EFE.

Erdogan defendeu que “proteger a honra e a dignidade da cidade sagrada de Jerusalém é o dever de todo o muçulmano” e que “opor-se aos tiranos que profanam Jerusalém, cidade que abriga santuários de três religiões, com ataques sem respeito, sem consciência e sem moralidade, é obrigação de todo o ser que se diz humano”.

Na sexta-feira, polícias israelitas invadiram a Esplanada das Mesquitas para dispersar dezenas de milhares de fiéis ali reunidos, após semanas de tensão e protestos contra o despejo iminente de várias famílias palestinas no bairro Seij Jarrah, em favor de organizações de colonos judeus.

No sábado, voltaram a registar-se confrontos, que provocaram no total cerca de 300 feridos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.