“A ideia é garantir que estes especialistas partilhem a sua experiência com os nossos docentes”, declarou Júlio Thaimira, do Instituto Superior de Ciências e Tecnologia Alberto Chipande em Sofala, centro de Moçambique, citado hoje pela Televisão SVT.

O programa da formação, com duração de cinco dias, abrange as áreas como ginecologia, pediatria e assistência à gravidez.

“Há problemas de quadros nestas matérias e, portanto, esperamos que esta formação sirva para melhorar a qualidade do trabalho deste grupo”, declarou Júlio Thaimira.

Por sua vez, a presidente da Health for Mozambican Childrem and Families, Carla Rêgo, disse que a organização não-governamental portuguesa está aberta para apoiar planos futuros, cujo foco está na assistência à saúde das pessoas.

“Estamos totalmente disponíveis para apoiar iniciativas similares em todas dimensões, tanto na questão da ciência como no apoio em geral”, concluiu Carla Rêgo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.