“É inaceitável o encerramento da biblioteca de uma faculdade, que é o coração da faculdade, em plena época de exames”, salientou a associação numa carta aberta dirigida à reitoria.

A biblioteca, que deveria estar fechada entre 25 de março e 03 de maio devido à empreitada, vai continuar encerrada até 15 de junho após prolongamento do prazo de execução, referem os estudantes, acusando a reitoria de conduzir “indevidamente” este processo.

“Fica demonstrada a aparente condução indevida deste processo, nomeadamente no que diz respeito à bibliografia obrigatória das unidades curriculares dos cursos de Direito e Criminologia, essencial para o bom desempenho académico dos estudantes de licenciatura, mestrado e doutoramento”, sustenta a missiva.

A isto acresce o facto de dentro da própria universidade não existir um arquivo bibliográfico suficientemente transversal e adequado para o que é exigido no trabalho diário, consideram.

Os estudantes contestam também o fecho da sala de estudo, frisando que atualmente não têm um local apropriado para realizar um estudo “frutífero” dado as salas estarem ocupadas pelas obras ou aulas.

Os alunos lamentam também o facto de terem pedido uma reunião ao reitor da Universidade do Porto para discutirem soluções para mitigar os efeitos da obra e não terem tido uma resposta.

Contactada pela Lusa, a universidade esclarece que as obras na biblioteca estão incluídas na empreitada de reabilitação do edifício da Faculdade de Direito, uma obra com um ano de duração e orçada em 765 mil euros.

A intervenção na biblioteca foi inicialmente planeada para um período entre os dias 25 de março e 03 de maio, mas esses prazos tiveram de ser estendidos devido às condições meteorológicas registadas nestas datas, explica a universidade.

“A intervenção tem como objetivo a recuperação da cobertura da biblioteca e subsequentes trabalhos de reabilitação do espaço interior, sendo que os trabalhos na cobertura implicariam o total destelhamento do espaço, pelo que só poderiam ser realizados com a previsão de uma semana completa de tempo seco. Infelizmente, essa semana só viria a ocorrer entre 29 de abril e 03 de maio, altura em que se realizaram todos os trabalhos necessários na cobertura”, adianta.

Assim, os trabalhos de reabilitação interior tiveram de ser adiados até à conclusão da operação na cobertura, refere,, acrescentando que a intervenção teve de ser reagendada prevendo-se estar concluída em 14 de junho.

Quanto à solicitação da reunião com o reitor, a universidade esclarece que está à espera da conjugação de agendas do reitor e do recém-eleito diretor da FDUP para marcar uma data.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.