A investigação, realizada por uma equipa de investigadores da Agência de Saúde Pública francesa e da equipa de Epidemiologia Nutricional de Bobigny (França), estabeleceu essa ligação após seguir durante cinco anos mais de 100.000 pessoas com uma média etária de 42 anos, das quais 21% homens e 79% mulheres.

Os cientistas alertaram que, de momento, se trata de uma possível relação, pois não existem provas definitivas e ainda há que realizar mais experiências.

Em concreto, detetaram um aumento de 18% no risco de sofrer de qualquer tipo de cancro nas pessoas que, como média diária, consumiram 200 mililitros de uma bebida açucarada – aquelas que contêm mais de 5% de açúcar – ou um sumo de fruta natural.

No caso das mulheres, os investigadores detetaram um aumento de 22% no risco de desenvolver cancro da mama.

Dos cerca de 2.193 cancros detetados durante a experiência, 693 foram da mama, 291 da próstata e 166 do cólon.

Graham Wheeler, da associação britânica Investigação Cancro UK, ressalvou, entretanto, que é necessário “levar a cabo mais investigações”.

Por outro lado, especialistas indicaram que se bem que a obesidade representa uma causa conhecida de 13 tipos de cancro, no estudo viram que o perigo de desenvolver cancro também se verificava em pessoas magras se consumissem este tipo de refrescos.

Entre outras explicações para sustentar a ligação estabelecida entre bebidas açucaradas e o cancro, a equipa investigadora apontou a elevada carga glicémica que continham.

Não detetaram, pelo contrário, qualquer relação entre as bebidas dietéticas com edulcorantes e o maior risco de cancro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.