“Fiquei surpreendido pela falta de referências no discurso do presidente Trump à ‘Democracia’ e preocupado por omissões no papel dos EUA no mundo. Ficou-se por uma invocação inconclusiva sobre a devolução do poder ao povo e por uma maior determinação no combate ao terrorismo”, escreveu Carlos César na sua página pessoal de Facebook.

O também líder parlamentar do PS alertou para os “sinais menos confiantes” para a comunidade internacional.

“Se optarmos por uma interpretação pessimista dessas lacunas e invocações reteremos uma promessa de uma América voltada para si mesma, social e politicamente bem mais tensa e musculada, economicamente mais protecionista e externamente menos universalista e menos implicada na paz e na coesão nos cenários internacionais e regionais”, vincou o presidente do PS.

Carlos César sublinhou, contudo, que Donald Trump “deve ser mais julgado” pelos seus atos e pelas suas decisões do que pelas suas palavras, antecipando que, dentro de “algumas semanas será certamente possível reinterpretar” o discurso inaugural com melhores conclusões.

O dirigente socialista termina a publicação com um apelo para que Portugal assuma as suas posições.

“Agora, respeitando e considerando a nova administração americana, continua a ser tempo de Portugal reafirmar uma posição mais ativa na relação bilateral, que devemos proteger, e na nossa condição euro-atlântica que os nossos governos tendem a esquecer”, defendeu o ex-presidente do Governo Regional dos Açores, arquipélago que tem uma grande comunidade nos Estados Unidos.

Segundo a Direção Regional das Comunidades dos Açores, que cita dados dos últimos censos norte-americanos, a comunidade portuguesa nos Estados Unidos é de cerca de 1,4 milhões de pessoas, estimando-se que 70% seja de origem açoriana.

Não obstante estar representada em todos os estados daquele país, a comunidade açoriana é mais expressiva na Califórnia, Massachusetts e Rhode Island.

Entre 1960 e 2014, saíram da região com destino aos Estados Unidos 96.292 emigrantes, informou a Direção Regional das Comunidades.

Donald Trump tomou hoje posse como o 45.º presidente dos Estados Unidos, sucedendo a Barack Obama.

Na cerimónia, realizada em Washington, estiveram os ex-presidentes Jimmy Carter, George W. Bush e Bill Clinton, acompanhado da mulher e ex-candidata presidencial dos democratas, Hillary Clinton.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.