O condado de Dane foi o segundo e último a terminar a recontagem, traduzindo-se num ganho de 45 votos para Donald Trump.

Milwaukee County, o outro grande e esmagadoramente liberal condado do estado, alvo de uma recontagem que Trump pagou, relatou os seus resultados na sexta-feira, com uma vitória, por 132 votos, para Biden.

Em conjunto, os dois condados registaram uma margem vencedora de 20.600 votos para Joe Biden, com a recontagem a acrescentar um total de 87 votos ao vencedor, sobre os apurados na contagem inicial.

“A recontagem serviu apenas para reafirmar a vitória de Joe Biden no Wisconsin”, afirmou Danielle Melfi, que liderou a campanha de Biden neste estado.

Sem precedentes para a anulação de um resultado tão grande como o obtido por Joe Biden, era esperada a contestação de Trump em tribunal, assim que a recontagem estivesse terminada.

“A recontagem de Wisconsin não pretende encontrar erros, mas sim pessoas que votaram ilegalmente e esse caso será apresentado depois de a recontagem ter terminado, na segunda ou na terça-feira”, 'tweetou' Trump, no sábado. "Encontrámos muitos votos ilegais. Fiquem atentos!”, prosseguiu.

Os funcionários da campanha de Trump não responderam em tempo útil aos pedidos de comentários feitos hoje pela Associated Press.

A certificação da votação – que é feita pelo presidente democrático da Comissão Eleitoral do Wisconsin, uma estrutura bipartidária – termina na terça-feira.

A campanha do Trump já falhou noutros locais em tribunal, sem provas da fraude generalizada que o presidente reclama e que os peritos concordam em não existir.

Os desafios legais do Trump falharam no Arizona, Geórgia, Michigan, Nevada e Pennsylvania.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.