A Comissão Judicial do Senado anunciou, em comunicado, que irá solicitar “uma investigação adicional” sobre o juiz Brett Kavanaugh “limitada às acusações credíveis” apresentadas contra ele.

No mesmo comunicado, a Comissão adianta que a “investigação não deverá prolongar-se por mais de uma semana” para não atrasar ainda mais a votação final da sua confirmação.

O candidato ao Supremo Tribunal dos Estados Unidos, o juiz conservador Brett Kavanaugh, foi hoje aprovado pelo Comité Judicial do Senado numa votação preliminar e de recomendação, cabendo agora à câmara alta do Congresso norte-americano confirmar o nome do magistrado.

Esta votação, que estava inicialmente prevista para as 13:30 hora local (18:30 em Lisboa) mas que acabou por ser realizada com atraso, está envolta em forte polémica, uma vez que Brett Kavanaugh, de 53 anos, está a ser acusado de conduta sexual imprópria por pelo menos três mulheres.

Os 11 membros republicanos que compõem o comité votaram a favor da recomendação da confirmação de Kavanaugh no Senado. Os restantes elementos do comité, dez democratas, opuseram-se.

Um senador republicano, Jeff Flake, pediu, no entanto, que a votação final no Senado fosse adiada uma semana, para permitir uma investigação do FBI (polícia federal) às acusações que recaem sobre o juiz Kavanaugh, o que acabaria por acontecer devido a um acordo de última hora entre os senadores.

Atualmente, os republicanos detêm uma estreita maioria no Senado, 51 lugares contra os 49 dos democratas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.