Em pouco mais de um minuto, no debate sobre os projetos de lei sobre a despenalização da eutanásia, no parlamento, André Ventura desafiou os deputados e Marcelo Rebelo de Sousa a “não se esquecerem” dos portugueses que estão “lá fora” e “querem a oportunidade” de se pronunciar.

Para António Ventura, “é no mínimo uma provocação histórica para a maioria dos portugueses” que a decisão sobre a morte medicamente assistida aconteça hoje, dia em que passam 100 anos sobre o dia em que Jacinta Marto, uma das três pastorinhas” de Fátima, morre.

E lembrando Hitler, mostrou um papel que disse ser o decreto do ditador alemão que instituiu a despenalização da eutanásia e pediu: “Aqui está ele para que não se esqueça quem promove estas práticas”, afirmou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.