O ex-presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) Paulo Campos foi constituído arguido esta quinta-feira, 15 de dezembro, por suspeitas de corrupção e a sua casa alvo de buscas da Polícia Judiciária (PJ), disse fonte ligada ao processo.

Também hoje, a PJ está a realizar várias buscas numa investigação que abrange empresas de contratação pública envolvidas na logística do INEM.

Segundo fonte ligada ao processo, as buscas, algumas domiciliárias, decorrem em Lisboa e no Porto.

A Procuradoria-geral da República divulgou também que as várias buscas – domiciliárias e a um instituto público – decorrem “no âmbito de um inquérito em que se recolhem indícios da prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, participação económica em negócio e abuso de poder”.

“A investigação visa a atuação do responsável principal desse instituto, por factos indiciariamente praticados no exercício das suas funções públicas e com violação dos deveres inerentes”, informa a PGR.

A operação iniciou-se esta manhã, está a cargo da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da PJ, é dirigida e tem a participação de magistrados do Ministério Público (MP) da 9ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa.

"A investigação prossegue sob a direção do MP da 9ª secção do DIAP de Lisboa com a coadjuvação da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da PJ", acrescenta.

[notícia corrigida às 13:15: alteração de foto]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.