"A comissão de inquérito pode ser um elemento. Mas uma comissão de inquérito tem as suas regras e o seu tempo e o que precisamos é de resolver um problema. Ou a encosta é patrimonial ou não é patrimonial", afirmou.

O movimento independente "Rui Moreira: Porto, o Nosso Partido" pediu na sexta-feira à Assembleia Municipal do Porto a abertura de uma comissão de inquérito às construções da Arrábida e à eventual ligação com o negócio do Parque da Cidade nos mandatos de Rui Rio (atual presidente do PSD) à frente da câmara municipal da cidade.

O ex-vereador Manuel Correia Fernandes (PS), que participou hoje num debate promovido pela Associação Defesa Praia da Madalena sobre a Arrábida, defendeu, em declarações à agência Lusa, que "só os planos vinculam democraticamente a sociedade, os cidadãos, as empresas e as instituições", caso contrário, há apenas "um conjunto de opiniões".

Questionado sobre se concorda com o pagamento de indemnizações para travar as construções na Arrábida, o ex-vereador do urbanismo, que diz assumir de "forma muito clara as responsabilidades" que tem, admitiu que "todas soluções estão em cima da mesa".

A 14 de agosto, a Câmara do Porto anunciou que ia apresentar uma queixa-crime contra Correia Fernandes (PS) por alegada difamação, depois de, no dia 10 de agosto, o ex-vereador ter acusado o presidente da autarquia de mentir ao atribuir-lhe responsabilidades de uma obra na Arrábida, que, garante, decorre de autorizações dos seus sucessores.

"Uma vez que as declarações de Manuel Correia Fernandes põem em causa o bom nome da instituição Câmara Municipal do Porto, dos seus responsáveis e funcionários e, claro, do presidente da Câmara, Rui Moreira, que acusou de «mentir», decidiu a Direção Jurídica da autarquia o seguinte: Apresentar queixa-crime contra Manuel Correia Fernandes, por difamação", escreve a autarquia em comunicado publicado na sua página oficial.

À data, questionado pela Lusa, Correia Fernandes disse manter as suas afirmações, acrescentando estar "disponível" para o que a justiça tiver "de resolver".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.