Uma forte explosão abalou na madrugada desta quinta-feira a zona do Aeroporto Internacional de Damasco, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). A explosão foi provocada por disparos de mísseis israelitas contra uma posição militar, causando apenas danos materiais. O Aeroporto Internacional de Damasco está situado a 25 quilómetros a sudeste da capital síria.

Este foi o segundo ataque de Israel em quatro dias, contra alvos na Síria, onde o Hezbollah luta ao lado do regime de Bashar al-Assad contra rebeldes e jihadistas.

"Uma posição militar ao sudoeste do aeroporto internacional de Damasco foi alvo ao amanhecer de uma agressão israelita com vários mísseis disparados a partir dos territórios ocupados, provocando explosões", anunciou a agência oficial síria Sana, que citou uma fonte militar.

De acordo com a Al-Manar, emissora de televisão do Hezbollah, a explosão aconteceu de madrugada "em vários depósitos de combustível e num armazém do aeroporto internacional de Damasco e foi provocada por um ataque aéreo israelita".

Agência Reuters já tinha avançado que o incidente teria sido provocado por um ataque aéreo levado a cabo pelas forças israelitas e que tinha atingido um depósito de armas do Hezbollah. Acrescentava a agência que a infraestrutura tem sido utilizada pelo Irão, um dos mais importantes aliados de Bashar al-Assad, para o abastecimento das forças armadas afetas ao regime sírio.

Em Israel, o ministro da Inteligência, Israel Katz, afirmou que o ataque era "coerente" com a política israelita, mas sem confirmar a responsabilidade do seu país.

Desde o início da guerra na Síria, Israel executou vários ataques no país contra alvos sírios ou do Hezbollah libanês, aliado de Damasco.

No domingo, três soldados das milícias leais ao regime morreram devido a um bombardeamento israelita contra um acampamento na localidade de Quneitra, nas Colinas de Golã. O exército de Israel também se negou a comentar a informação.

Ataques israelitas contra a Síria 

Em 13 de janeiro deste ano, Damasco acusou Israel de ter bombardeado o aeroporto militar de Mazze, ao oeste da capital, o que provocou incêndios. Neste aeroporto fica o serviço de inteligência da Aeronáutica.

Em 2016 vários mísseis israelitas atingiram os arredores desta base militar, segundo a imprensa estatal síria.

No ano passado, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu admitiu que Israel atacou dezenas de comboios de armas destinadas ao Hezbollah.

De acordo com o regime sírio, o aeroporto de Damasco foi alvo de um ataque aéreo em dezembro de 2014.

Israel preocupa-se com a presença do Hezbollah na Síria, um dos seus principais adversários, que tem o apoio do Irão e das forças iranianas.

A 17 de março, Israel e Síria tiveram o incidente mais grave em muitos anos. Um ataque israelita perto de Palmira (centro), contra alvos que o governo de Israel afirma que estavam relacionados com o Hezbollah, provocou uma resposta antiaérea das forças sírias e um disparo de míssil, intercetado quando seguia em direção ao território israelita.

Em 2006 um conflito entre Israel e Hezbollah, o grupo armado mais poderoso do Líbano, provocou 1.200 mortos no território libanês, a maioria civis. Do lado israelita foram registadas 160 mortes, a maioria soldados.

[Notícia atualizada às 12h32]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.