De acordo com Luís Meira, a decisão de montar este posto médico avançado deveu-se ao “aumento expectável de visitantes e peregrinos que vão estar no santuário” de Fátima nos próximos dias 12 e 13, tal como o Papa Francisco que ali irá canonizar os pastorinhos Francisco e Jacinta.

Este posto faz parte do dispositivo do INEM que inclui ainda um hospital de campanha, mais afastado do recinto, com uma resposta desenhada para dois níveis, o primeiro dos quais funcionará, quarta e quinta-feira, com “uma estrutura equivalente a um serviço de urgência básica”.

“A partir do dia 12, sexta-feira, terá uma dimensão maior com capacidade cirúrgica, reforço com várias especialidades (cardiologia, medicina interna, ortopedia, pediatria, anestesia, entre outras), capacidade de internamento em ambiente de cuidados intensivos e que nos vai permitir nas imediações do santuário ter esta capacidade de resposta muito diferenciada”, disse Luís Meira.

Em caso de necessidade, esse hospital “poderá inclusivamente ter internamentos e intervenções cirúrgicas num processo que será articulado com os hospitais previstos no plano de contingência do Ministério da Saúde”.

Em meios humanos, o INEM também atuará a dois níveis, prevendo ainda um terceiro que só será acionado em caso de exceção e catástrofe.

A resposta do instituto contará com cerca de 50 operacionais por dia em Fátima, número que aumentará para 150 a partir de sexta-feira, primeiro dia da visita do Papa Francisco.

Para o terreno irão “médicos, enfermeiros, técnicos, psicólogos, técnicos de logística, telecomunicações, um conjunto alargado de recursos para garantir o funcionamento do dispositivo de emergência médica”, adiantou.

Estes profissionais serão apoiados por várias Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER), ambulâncias do instituto e dos parceiros, motorizadas e helicópteros, um dos quais destinado apenas para um eventual transporte do Papa e um outro localizado mais próximo do santuário do que o seu posto habitual.

Apesar da existência destes meios no terreno, Luís Meira sublinha que o número de emergência (112) deve ser sempre acionado por quem precise ou acompanhe quem necessite de ajuda, pois será através desta ligação que será encaminhada a resposta mais rápida e adequada.

Segundo Luís Meira, o INEM tem os meios preparados para dar a resposta necessária, sendo o seu principal foco “garantir que tudo corra bem e que os peregrinos e todas as entidades, bem como sua santidade, saiam de Fátima satisfeitos por terem participado numas cerimónias em que não aconteceu nada de inesperado e que lhes foi proporcionada uma experiência que seguramente irão recordar para o resto das suas vidas”.

"O dispositivo do dia-a-dia vai manter-se na mesma, sem reduções"

“Apesar de termos um conjunto significativo de meios que vão estar empenhados na resposta a este grande evento nacional, o dispositivo do dia-a-dia vai manter-se na mesma, sem reduções e vamos continuar a garantir o socorro nos moldes em que o fazemos diariamente”, disse Luís Meira, em entrevista à agência Lusa.

O presidente do INEM afirmou que “qualquer dispositivo de apoio a um evento desta ou outra natureza não deve reduzir aquilo que é o nível de cuidados prestados à população”.

“Além disso, vamos ter uma atenção especial àquilo que vai ser um evento de grandes dimensões, com grande projeção nacional e internacional, e dessa maneira garantir que a missão do INEM está salvaguardada: garantir que, no âmbito do sistema integrado de emergência média, a resposta a situações de doença súbita e de acidente é dada de forma adequada”, disse.

Segundo Luís Meira, um dos helicópteros do INEM estará reservado para o transporte do Papa, em caso de necessidade, conforme “um dos pedidos do Vaticano”.

Um outro helicóptero será deslocado para um posto mais próximo de Fátima, tendo em conta o aglomerado de pessoas que é esperado para esses dias, mas estará disponível para qualquer outra solicitação.

“Vamos garantir o que é o dia-a-dia dos portugueses naquilo que são as respostas expectáveis com que a população portuguesa conta da parte do INEM”, afirmou.

Francisco é o quarto Papa a visitar Fátima, a 12 e 13 de maio, para canonizar os pastorinhos Francisco e Jacinta, no centenário das “aparições”, em 1917.

O Papa tem encontros previstos com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, logo à chegada, e com o primeiro-ministro, António Costa, no dia 13.

Os anteriores Papas que estiveram em Fátima foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

Na anterior visita papal, em 2010, o INEM recebeu um agradecimento de Bento XVI pela forma como foi prestada a assistência à saúde do Papa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.