“Não posso concordar. Fechar a urgência ou é feito num contexto de revisão e poderá fazer sentido, ou é feito em desespero de causa, que é o que está a acontecer. Não é uma boa solução”, frisou à Lusa o pediatra.

Devido à falta de especialistas, a ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou na quinta-feira que o serviço de Urgência Pediátrica do Garcia de Orta (concelho de Almada, no distrito de Setúbal) vai passar a fechar à noite a partir de segunda-feira, reconhecendo que “não é a solução ideal”, mas a que garante “mais segurança” para os utentes.

Atualmente o médico continua em funções no Garcia de Orta, mas, no final do ano passado, demitiu-se do cargo de diretor porque estava “cansado de promessas” de contratação de novos profissionais que nunca chegaram, segundo declarações à Lusa, em março.

“Há um ano esta situação era completamente evidente que ia acontecer”, apontou hoje o pediatra, acrescentando que a anterior administração, liderada por Daniel Ferro, “negou um problema sério que se foi agravando ao longo do tempo”.

Pelo contrário, na visão de Anselmo Costa, o atual conselho de administração, presidido por Luís Amaro, “teve uma postura completamente diferente”, admitindo o problema.

“Quando não se tem ovos, não se fazem omeletes e nós estamos há muito tempo sem ovos. O que está a acontecer não é bom, mas é aquilo que tem de ser. A menos que as pessoas trabalhem 24 horas sobre 24 horas, é evidente que não era possível manter uma urgência aberta”, explicou.

Apesar de considerar que “quanto mais grave é o problema, mais difícil é resolvê-lo”, Anselmo Costa espera que “haja possibilidades de se começar a resolver agora”.

“Não vai ser de um dia para o outro, mas eventualmente pode vir a ter uma solução”, referiu.

Para colmatar o encerramento da Urgência Pediátrica no período noturno, a ministra da Saúde prolongou o horário de duas unidades de saúde.

Assim, as unidades de saúde da Amora, no Seixal, e da Rainha Dona Leonor, em Almada, vão passar a funcionar das 08:00 às 00:00, nos dias de semana, e das 10:00 às 22:00, no fim de semana.

Além disso, Marta Temido anunciou que no início do ano será lançado um novo concurso para a contratação de mais pediatras.

Contudo, devido ao descontentamento perante esta situação, a Comissão de Utentes da Saúde de Almada e Seixal marcou uma vigília em frente ao Hospital Garcia de Orta, na segunda-feira, a partir das 20:00.

A falta de pediatras afeta o hospital há mais de um ano, quando saíram 13 profissionais, e, segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque "ninguém concorreu".

Atualmente, trabalham 28 médicos no serviço de pediatria, dos quais só sete fazem urgência e apenas quatro podem fazer noites porque têm menos do que 55 anos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.