No discurso de encerramento do debate do Orçamento do Estado para 2014 (OE2024), o ministro das Finanças, Fernando Medina, em jeito de balanço, considerou que, sob qualquer prisma, “os últimos oito anos foram um dos períodos de maior progresso e desenvolvimento do país”.

O governante recordou que há poucos dias o prémio Nobel da Economia Paul Krugman classificou Portugal como um “milagre económico”, um argumento diversas vezes utilizado no debate das propostas de alteração orçamentais na especialidade do Orçamento, para defender que “a resposta não está nos santos, está nas boas políticas”.

“São as boas políticas que fazem os bons resultados. Temos bons resultados porque temos boas políticas”, afirmou.

Para Medina, “o sucesso” da atual governação “assentou na destruição dos pilares fundamentais” dos partidos à direita do PS, destacando a subida dos salários como uma marca que o executivo deixa.

“Não existiria se a direita estivesse no poder”, disse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.