"Esta greve foi marcada como forma de luta e de protesto contra o facto de os hospitais considerados Entidade Pública Empresarial (EPE) não estarem a cumprir os acordos coletivos de trabalho, nem os limites legais para o trabalho extraordinário ou suplementar", disse à agência Lusa o secretário-geral da FESAP, José Abraão.

O pré-aviso de greve emitido pela federação sindical abrange todos os trabalhadores dos hospitais EPE, "independentemente da natureza do seu vínculo, cargo ou função ou setor de atividade".

A paralisação decorrerá "após a jornada normal de trabalho diário, nos feriados e dias de descanso", entre as 00:00 de dia 3 de dezembro e as 24:00 de dia 30 de abril de 2019.

A FESAP vai enviar, ainda esta semana, uma queixa à Provedora da justiça, com o objetivo de que seja reposta a legalidade nos hospitais EPE, nomeadamente em relação aos horários de trabalho e às carreiras.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.