De acordo com um comunicado divulgado na sexta-feira pela seguradora, “este número suplanta largamente o número de participações originadas pelos incêndios de junho em Pedrógão Grande, que não ultrapassaram as 132, e os dos incêndios de outubro a Norte do Tejo, que totalizaram 1134 participações”.

A Fidelidade explicou que estão ainda a decorrer processos de peritagem, tendo mobilizado “para o terreno afetado pela tempestade, com especial incidência no distrito de Coimbra, uma equipa de 50 peritos e o posto operacional móvel de emergência, tendo já efetuado desde o início da semana cerca de 500 peritagens”.

A seguradora criou uma unidade operacional móvel com o objetivo de “quantificar e avaliar os prejuízos sofridos com a maior rapidez e proximidade possível junto da população afetada, agilizando melhor os processos de indemnização”.

A Fidelidade ambiciona “agilizar todo o processo de levantamento de danos” de forma a proceder ao pagamento de indemnizações “da forma mais rápida possível”.

Os prejuízos causados pela tempestade na região Centro ultrapassam os 80 milhões de euros, de acordo com os dados preliminares avançados pelas câmaras municipais mais afetadas.

A passagem da tempestade Leslie por Portugal, no passado sábado e no domingo, provocou ainda 28 feridos ligeiros e 61 desalojados.

A Proteção Civil mobilizou 8.217 operacionais, que tiverem de responder a 2.495 ocorrências, sobretudo queda de árvores e de estruturas e deslizamento de terras.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.