Em causa está o Aeródromo Municipal da Maia, localizado na freguesia de Folgosa, localidade afetada esta tarde por um incêndio que se mantém ativo quer no concelho da Maia quer no da Trofa, ambos do distrito do Porto.

O tenente-coronel da Guarda Nacional Republicana Silva Ferreira apontou à Lusa que será montado um posto de comando no Aeródromo Municipal da Maia, informação reiterada pelo diretor do equipamento, Pedro Barros Prata, que vincou "não existir risco" nem "situações anormais".

"O aeródromo foi fechado por questões de segurança e para que possa ser montado o comando de operações. O incêndio continua a rondar mas sem perigo para as instalações, pessoas e aeronaves", indicou o diretor.

Pedro Barros Prata acrescentou que "não estava previsto tráfego aéreo" pelo que não ocorreram, devido a este fogo, "situações anormais".

O incêndio que continua ativo na Maia e Trofa, com incidência nas freguesias de Folgosa e Covelas, obrigou à evacuação de casas e está a ser combatido por 81 homens de várias corporações de bombeiros, auxiliados por 21 viaturas e três meios aéreos, disseram fontes oficiais.

Este incêndio também já causou dados em armazéns e um bombeiro foi assistido e transportado para o hospital de Famalicão, tendo já recebido alta hospitalar.

Soma-se o auxílio a uma criança que se sentiu mal no interior de um carro na A3 que foi transportada para o Hospital de São João, no Porto.

O trânsito na A3 foi encerrado cerca das 17:00 de hoje, nos dois sentidos, entre Santo Tirso e a Maia, tendo sido reaberto cerca das 18:30.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.