“Os ucranianos estão a tentar recuperar Kherson. Não podemos dizer exatamente quem está a controlar Kherson, mas não está mais de forma sólida sob o controlo russo”, disse à agência de notícias AFP a autoridade norte-americana, que pediu anonimato.

Tomada em 3 de março pelos militares russos, esta cidade estratégica localizada na foz do rio Dnieper, onde as manifestações foram violentamente reprimidas, “é novamente um território disputado”, indicou.

De acordo com o alto funcionário do Pentágono, se os ucranianos conseguissem recuperar o controlo de Kherson, as posições russas em torno de Mykolaiv encontrar-se-iam “ensanduichadas” entre aqueles que defendem as duas cidades.

Os russos teriam “muitos problemas para progredir em terra em direção a Odessa”. “Seria um desenvolvimento importante”, observou.

Os conflitos também opõem as forças russas à resistência ucraniana nas localidades de Bucha e da cidade de Irpin, nos arredores do noroeste de Kiev, segundo informações do Pentágono.

“Observamos intensos combates” nesta área. “Os ucranianos estão a tentar desalojar os russos de Bucha e Irpin”, anotou.

Numa altura em que parece que o Exército russo parece estar parado, a Força Aérea da Rússia está a aumentar os bombardeios, em particular na região de Kiev, em Chernihiv (norte) e ao redor das regiões separatistas de Donbass, de acordo com o funcionário do Pentágono.

Os bombardeios também são cada vez mais destrutivos à medida que os ‘stocks’ de mísseis de precisão do Exército russo diminuem, disse, observando, no entanto, que ainda tem mais de 50% de ‘stock’ de mísseis.

A Rússia também está a mobilizar as tropas dos territórios separatistas das Geórgia para enviá-las para a Ucrânia.

“Temos indicações de eles [russos] estão a tentar enviar reforços da Geórgia”, alertou.

“Detetamos movimentações de vários soldados da Geórgia, não temos o número exato”, referiu, acrescentando que não poderia dar mais detalhes sobre a data da sua possível chegada ao teatro de guerra.

Após um conflito com a Geórgia em 2008, a Rússia reconheceu unilateralmente a independência de dois territórios separatistas georgianos pró-Rússia, Abkhazia e Ossétia do Sul, estabelecendo bases militares naqueles locais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.