“Decidimos reforçar as obrigações que as empresas de internet têm para evitar que se promova o ódio e o terrorismo”, disse Macron após uma reunião com May, no Palácio do Eliseu.

Os dois estadistas estarão esta noite no jogo amigável entre as seleções de futebol dos dois países, no estádio de Saint Denis, onde será feita uma homenagem às vítimas dos atentados jihadistas de Manchester (22 mortos no dia 22 de maio) e de Londres (oito mortos no dia 03 de junho).

Sobre a luta contra o jihadismo a primeira-ministra britânica disse que se trata de uma “iniciativa comum” que incluirá uma supressão “automática” de conteúdos propagandistas.

Para Macron, as empresas que gerem as redes sociais e as páginas da internet não fizeram os esforços suficientes para evitar a circulação de mensagens de propaganda jihadista, que recrutaram muitos dos terroristas que têm promovido atentados na Europa.

O Presidente francês assegurou que a cooperação com o país vizinho é “exemplar” e defendeu o aumento de colaboração com os Estados Unidos na luta contra a propaganda terrorista.

Franceses e ingleses querem também implementar um melhor sistema para decifrar mensagens de propaganda jihadista, sempre preservando a privacidade dos cidadãos, disse Macron.

A França, com 289 mortos nos últimos dois anos e meio, e o Reino Unido, com 30 nas últimas semanas, têm sido as principais vítimas do terrorismo jihadista na Europa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.