“Fizemos um pedido para que nos enviasse as propostas para podermos ter uma posição na segunda-feira, mas até agora nem ai nem ui. Não disse nada. Continua numa postura que tem vindo a ser a prática e a demonstrar a falta de postura democrática que existe neste momento no que diz respeito à negociação na Administração Pública, muitas vezes ilegal e até inconstitucional", disse a sindicalista.

Ana Avoila (CGTP) falava hoje em conferência de imprensa, para “reafirmar as posições da Frente Comum relativamente à votação final do Orçamento do Estado para 2020”.

“É lamentável que sejamos confrontados no local de trabalho com problemas de falta de pessoal, baixos rendimentos e sem equipamentos e investimento público”, insistiu.

A dirigente sindical lembra que a estrutura fez uma contra-proposta de aumento de 90 euros e sobre a qual ainda não obteve também nenhuma resposta da parte do Governo.

“Queremos fazer uma negociação séria”, disse a sindicalista, lamentando que o executivo liderado por António Costa opte “por dar 700 milhões a bancos falidos, continuar a pagar PPP com juros altos e não fazer negociação na dívida”.

“É com este quadro que vamos mobilizar os trabalhadores para prosseguir a luta caso o Governo apresente uma proposta que seja o que chamamos de insultuosa ou de provocação”, disse.

Questionada sobre a possibilidade de o Governo apresentar uma proposta que beneficie os escalões mais baixos da Administração Pública, Ana Avoila diz que tal será uma “provocação”.

“Os escalões mais baixos no universo dos 635 mil trabalhadores são muito poucos porque houve muito poucas entradas. O Governo faz estas habilidades, gasta muito pouco dinheiro e divide todos os trabalhadores. É uma provocação”, insistiu.

“Não conhecemos nada. Não percebemos porque Governo faz segredo das coisas. O Governo vai esperar por segunda-feira para entregar proposta e vai criar ilusão nos trabalhadores que podem ter mais alguma coisinha além dos 0,3%. Não é verdade, é uma política trapaceira que não resolve nem ajuda à melhoria das condições dos trabalhadores e na produtividade dos serviços", disse.

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, afirmou no parlamento, em resposta à deputada do PSD, Carla Barros, no âmbito da discussão na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), que o Governo convocou as estruturas sindicais da administração pública para voltar a negociar a proposta de aumentos salariais para este ano, de 0,3%.

Segundo a ministra, será na reunião, agendada para segunda-feira, que o Governo dirá aos sindicatos "o que é que vai ser acrescentado aos 0,3%".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.