A companhia aérea de baixo custo, com sede em Berlim, com 37 aeronaves, servia principalmente destinos turísticos ao redor do Mediterrâneo e do Médio Oriente, transportando mais de quatro milhões de passageiros por ano.

“Infelizmente fomos incapazes de conseguir financiamento para cobrir uma necessidade de liquidez de curto prazo”, pode ler-se num comunicado do diretor executivo da companhia, Karsten Balke, no site da empresa.

A transportadora aérea explicou que os problemas de liquidez surgiram “principalmente devido a eventos imprevisíveis, como aumentos maciços nos preços dos combustíveis no verão passado e o simultâneo enfraquecimento do euro em relação ao dólar, atrasos consideráveis na entrada de aeronaves na frota”.

Quanto aos passageiros afetados pela suspensão das operações de voo, a Germania Airlines assumiu que os que reservaram os voos na como parte de um pacote de férias podem entrar em contacto com o operador turístico para organizar o transporte substituto, "para os passageiros que reservaram diretamente com a Germania, infelizmente não há direito a substituir o transporte".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.