Em comunicado, esta força policial explicou que as sardinhas estavam dentro de quatro recipientes, não tendo sido possível apurar a quem pertenciam e, por isso, determinar a sua origem e rastreabilidade, constituindo um perigo para a saúde pública.

Esta apreensão decorreu no âmbito de uma ação de fiscalização destinada ao controlo das regras de captura, desembarque, comercialização e regime legal da primeira venda de pescado fresco, no porto de pesca de Matosinhos, sublinhou.

“A GNR salienta que a prática de uma pesca sustentável, que respeite a natureza e a integridade dos ecossistemas, contribui para a conservação das unidades populacionais de peixes e, ao mesmo tempo, para a criação de condições de prosperidade e emprego no setor das pescas”, concluiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.