“No âmbito de uma fiscalização que visava o combate à prática da apanha, transporte e comercialização desta espécie, os militares detetaram o transporte dos bivalves num veículo, com destino a serem introduzidos no consumo fora do território nacional, sem que fossem acompanhados de qualquer documento de registo, que atestasse a zona de captura e o controlo higiossanitário”, refere a GNR em comunicado.

A operação foi efetuada pela Unidade de Controlo Costeiro da GNR, através do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Fonte da Telha, numa ação que visa “diminuir as atividades de apanha desta espécie no estuário do Tejo e a sua posterior comercialização”.

“Sem o devido período de depuração, a elevada concentração de toxinas presentes nos bivalves constitui-se como um grave risco para a saúde pública”, acrescenta o documento.

Os bivalves, por ainda se encontrarem vivos, foram devolvidos ao seu habitat natural.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.