Dos 285 transportes de órgãos realizados em 2016, a GNR empenhou 574 militares, que percorreram 43.284 quilómetros, refere a Guarda Nacional Republicana, em comunicado.

Segundo a GNR, os três distritos com mais transportes requisitados no ano passado foram Lisboa (65), Setúbal (61) e Coimbra (30).

Aquela força de segurança sublinha que, desde 2010, realizou 1.690 transportes de órgãos, envolvendo cerca de três mil militares e percorrido mais de 270 mil quilómetros, o equivalente a uma volta ao mundo por ano.

Após ser contactada pela unidade de saúde que detém o órgão a ser transportado, a GNR desencadeia de imediato uma patrulha para se deslocar ao hospital e transportar o órgão nas exigidas condições térmicas até ao bloco operatório da unidade hospitalar requisitante, explica a corporação.

A GNR refere ainda que a qualidade e segurança da transplantação de órgãos depende do tempo necessário para o seu transporte, sendo, por isso, missão desta força de segurança chegar ao destino no menor tempo possível.

Desde 1994 que a GNR tem a missão de transportar órgãos em todo o país.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.