Quando a água não chega, combate-se o fogo com fogo e os espanhóis queimaram de forma controlada para criar zonas tampão na estrada nacional 112, já no concelho de Pampilhosa da Serra, distrito de Coimbra.

A técnica de queima controlada permite, aproveitando a estrada, criar uma faixa alargada por onde o incêndio não possa espalhar-se, disse à Lusa o bombeiro Salvador Benitez.

"Não estamos acostumados a fogos tão grandes, mas é uma coisa que pode acontecer em qualquer lado", afirmou, acrescentando que é a primeira tarefa que desempenham integrados no dispositivo de combate mobilizado para o incêndio que deflagrou no sábado.

As autoridades portuguesas esperam que com ações deste tipo se consiga controlar brevemente a frente da Pampilhosa da Serra.

Com o aproximar da noite, nevoeiro denso vai caindo por algumas das encostas da Serra da Lousã devastadas pelo fogo nos últimos dias.

Ao longo da tarde, sucederam-se os reacendimentos do incêndio que continuava ao início da noite com frentes ativas em Góis e Arganil.

O terreno acidentado e a área geográfica do incêndio são obstáculos à eficácia do combate ao fogo, obrigando a deslocações demoradas por terreno difícil.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.