“Os legisladores argentinos foram maltratados quando chegaram a La Paz para cumprir as suas funções como observadores das eleições de domingo. É responsabilidade direta do Governo de Jeanine Añez preservar a integridade da delegação argentina”, afirmou o Presidente da Argentina, Alberto Fernández, através de uma publicação na rede social Twitter.

Além de Fagioli, os deputados Leonardo Grosso e Paula Penacca, bem como o senador Guillermo Snopek, foram convidados a participar como observadores do processo eleitoral.

Também através do Twitter, o Governo argentino exigiu que o executivo de Añez “se responsabilize pela detenção ilegal” de Fagioli, bem como pela saúde do funcionário da embaixada da Argentina Lucas De Maria, que teve um ataque de asma, no aeroporto, durante a detenção do deputado.

O antigo presidente boliviano Evo Morales também já se mostrou contra a detenção.

“Repudiamos o ato vergonhoso do Governo contra o deputado Fagioli, membro da missão de observação do congresso argentino. Ele foi detido ilegalmente e os seus documentos foram apreendidos ao chegar ao aeroporto de El Alto”, afirmou Morales no Twitter.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.