O responsável da ONU criticou o golpe frustrado e apelou que “todos os envolvidos a sigam os meios constitucionais”, segundo o seu porta-voz, Stéphane Dujarric.

Dujarric acrescentou que o emissário da ONU para o Gabão, François Lounceny Fall, está a acompanhar a situação.

Os militares anunciaram hoje, ao início da manhã, na televisão pública, que estava em curso um golpe de Estado naquele país da África Ocidental, que, entretanto, terá sido contrariado pelas forças leais ao Governo. Um soldado do exército, ladeado por outros dois armados, leu um comunicado a informar que os militares tomaram o controlo do Governo “para restaurar a democracia” no país.

Segundo o porta-voz do Governo do Gabão, os responsáveis do golpe militar foram presos e a situação na cidade está controlada.

A tentativa de golpe de Estado aconteceu uma semana depois de o chefe de Estado, Ali Bongo Ondimba, se dirigir à nação, em 31 de dezembro, em Rabat (Marrocos), onde se encontra a recuperar de uma doença que o tem mantido afastado do país desde outubro.

As forças de segurança foram deslocadas para a capital, Libreville, e aí permanecerão nos próximos dias para garantir a ordem, segundo o porta-voz governamental.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.