"Sei, por experiência pessoal, como uma abordagem baseada na prevenção e tratamento pode ter resultados positivos. Enquanto primeiro-ministro de Portugal, usei a flexibilidade das três convenções internacionais para controlo de drogas para introduzir respostas não criminais à posse de drogas para uso pessoal. Mais recursos foram dedicados à prevenção, tratamento e programas de reintegração", disse Guterres numa mensagem divulgada hoje.

"Portugal tem hoje uma das taxas de mortalidade por uso de drogas mais baixas da Europa. Em 2001, tinha a taxa de infeção de HIV entre consumidores de drogas mais alta da região; desde a entrada em vigor da nova política, esta taxa, e as taxas de todas as doenças transmitidas sexualmente, desceu de forma dramática. O uso de drogas também desceu", acrescentou.

O secretário-geral da ONU disse-se ainda "orgulhoso destes resultados e esperançoso de que os resultados desta experiência continuam a encorajar os estados membros a discutir e explorar soluções compreensivas e com base em factos."

Segundo um relatório recente da ONU, o consumo de drogas causa 190 mil mortes todos os anos.

Na sua nota, Guterres lembra que os países-membros concordaram no ano passado com uma série de ações durante uma sessão especial da Assembleia Geral sobre o problema mundial das drogas.

"Apesar dos riscos e desafios de enfrentar este problema global, espero e acredito que estamos no caminho certo, e que juntos podemos implementar uma abordagem coordenada e compreensiva que conduza a soluções sustentáveis", concluiu Guterres.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.