O centro, que foi gerido pelo Alto Comissariado da ONU para os refugiados, foi encerrado no fim de janeiro. Os migrantes que estiveram antes no local foram deslocados para um outro centro na ilha.

Cerca de 150 habitantes concentraram-se em redor do centro após a chegada de novos migrantes a Skala Sykamineas e incendiaram-no parcialmente, com receio que fosse reaberto.

Cerca de 70 pessoas que procuram asilo continuam na praia, sem proteção, ao início da noite, constatou o fotógrafo da AFP.

Segundo uma contagem da agência, hoje pelo menos 500 migrantes chegaram a diferentes pontos da ilha em várias embarcações.

Manifestando a sua cólera com esta chegada, os habitantes também impediram uma embarcação com cerca de 50 migrantes de atracar, com gritos de "vão para a Turquia".

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou no sábado a abertura de fronteiras para a Europa aos migrantes e refugiados.

A decisão de Ancara está a ser encarada como uma tentativa deliberada de pressionar os países europeus para obter apoio ocidental na Síria, onde a Turquia enfrenta o regime de Damasco.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.