"Como presidente tenho o dever de dirigir o Estado. Como socialista, não posso aceitar a divisão da esquerda", disse Fraçois Hollande segundos antes de confirmar que não se iria recandidatar à presidência francesa.

"Decidi não ser candidato a um novo mandato". O anúncio feito do Eliseu diretamente para toda a França é algo sem precedentes, todos os presidentes da Quinta República tentaram um segundo mandato.

Após a eleição de Donald Trump, nos EUA, as manchetes internacionais viraram-se todas para França. O que irá acontecer?, era a pergunta que ficava.

A especulação em torno de uma recandidatura de François Hollande surgiu naturalmente, mas pouco natural seria o atual chefe do Estado francês ter possibilidades de vencer. A sua popularidade continua a manter-se abaixo dos 20%.

O anúncio da não recandidatura abre portas para o primeiro-ministro Manuel Valls.

A notícia chega poucos dias depois da vitória de François Fillon nas primárias da direita. O antigo primeiro-ministro.

Na corrida ao Eliseu estão, atualmente, Emmanuel Macron, ex-ministro da Economia, e a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen.

As últimas sondagens dão a vitória a Fillon na primeira volta e a passagem de Le Pen à segunda. Segundo o mesmo estudo, na segunda volta, o candidato da direita venceria por larga escala.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.