Num comunicado hoje divulgado, a Procuradoria-Geral de Paris refere que o homem detido na terça-feira não era Khalid Aedh al-Otaibi, sobre quem recai um mandado de prisão turco de 2019.

“O mandado (de prisão) não se aplica a ele”, é dito no comunicado, que não dá mais detalhes, enquanto a comunicação social francesa noticiou que a confusão se deveu ao facto de o detido ter al-Otaibi no nome.

A embaixada saudita em Paris revelou que o homem preso “não tinha nada a ver com o caso em questão” e foi hoje libertado, tendo embarcado num voo para a Arábia Saudita.

Jamal Khashoggi - o jornalista saudita que estava exilado nos Estados Unidos, onde escrevia uma coluna para o jornal The Washington Post, com fortes críticas ao regime do seu país – foi violentamente assassinado nas instalações do consulado da Arábia Saudita em Istambul, em 02 de outubro de 2018, por um comando de agentes de Riade.

Depois de negar o assassínio, Riade acabou por admitir que a morte do jornalista foi cometida por diversos agentes sauditas que agiram por sua conta.

Após um julgamento na Arábia Saudita, muito criticado pela comunidade internacional, cinco sauditas foram condenados à morte e três a penas de prisão, mas, desde então, as sentenças de morte foram atenuadas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.