Em comunicado, a administração do hospital adiantou que se reuniu hoje com as comissões de utentes dos concelhos de Almada e Seixal, a pedido das mesmas, tendo informado que “estão a ser trabalhadas várias hipóteses com o objetivo de minorar ou solucionar os problemas que se vivem atualmente”, de falta de médicos especialistas.

Segundo a Comissão de Utentes de Saúde do Concelho do Seixal, em declarações à Lusa, a urgência pediátrica do Garcia de Orta vai passar a encerrar todas as noites, a partir de 18 de novembro, por seis meses.

Contudo, na nota enviada, o hospital não confirma que esta medida se poderá concretizar, frisando apenas que a administração continua “a procurar ultrapassar” a situação de falta de pediatras, em conjunto com o Ministério da Saúde e a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT).

Neste sentido, indicou que, assim que possível, serão dadas a conhecer “todas as iniciativas que vêm sendo concretizadas, como os seus resultados”.

“Como é conhecido, esta situação decorre do facto de o Hospital se defrontar com a carência de médicos especialistas em pediatria desde a saída, no final de 2018 e início de 2019, para o setor privado, de vários médicos que pertenciam ao quadro deste hospital”, explicou.

Para José Lourenço, da comissão de utentes do Seixal, o encerramento da urgência todas as noites é uma medida “preocupante”.

“Vai aumentar a angústia que os utentes têm tido nestes últimos tempos, pela expectativa de, numa situação de emergência, terem que ir para Lisboa com os condicionalismos que existem na Ponte 25 de Abril”, explicou.

Por estes motivos, os utentes vão fazer um “pedido de reunião urgente” à ministra da Saúde, Marta Temido.

Além disso, têm em vista uma ação de protesto no dia 18 de novembro, quando se iniciará o suposto encerramento noturno, equacionando “uma vigília dentro do hospital”, caso seja autorizada.

A falta de pediatras no Garcia de Orta já afeta o hospital há mais de um ano, quando saíram 13 profissionais e, segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque “ninguém concorreu”.

Atualmente, trabalham 28 médicos no serviço de pediatria, dos quais sete fazem urgência e apenas quatro podem fazer noites porque têm menos do que 55 anos.

Em 26 de outubro, o presidente do Hospital Garcia de Orta informou que a urgência pediátrica deve normalizar “daqui a seis meses”, depois do lançamento de um novo concurso e do preenchimento das três vagas por contratação direta, autorizadas pelo Ministério da Saúde.

O Hospital Garcia de Orta serve os concelhos de Almada e Seixal, no distrito de Setúbal.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.