Escreve a Reuters, citando a polícia londrina, que o fogo começou num frigorífico Hotpoint.

Fiona McCormack, detetive da polícia, adiantou que se trata do modelo FF175BP e que o incêndio não foi provocado de forma deliberada.

As autoridades concluíram que o isolamento e revestimento utilizados no prédio não eram seguros.

Segundo as autoridades, 79 pessoas terão pedido a vida - entre mortos e desaparecidos - no incêndio que destruiu 151 casas na torre de Kensington.

Fiona McCormack pediu a todos os que estiveram na torre que informem as autoridades. "Não queremos que existam vítimas da tragédia que não conheçamos. A nossa prioridade é perceber quem estava na torre de Grenfell, não estamos interessados em saber as razões porque as pessoas estavam na torre", acrescentou.

Entre 400 e 600 pessoas viviam na Torre Grenfell, de 24 andares e 120 apartamentos, que ficou totalmente consumida pelo fogo na madrugada da passada quarta-feira.

O governo britânico informou que os afetados pelo incêndio de Londres, onde se incluem dez portugueses, vão ser realojados num bloco de apartamentos de luxo perto do local do sinistro.

O governo britânico anunciou uma verba de cinco milhões de libras (5,7 milhões de euros) para a ajuda de emergência às vítimas do incêndio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.