Dos incêndios registados na página da internet da ANPC àquela hora, três estavam em curso, um encontrava-se em fase de resolução e três em fase de conclusão.

Ao todo, nestes focos encontravam-se 2.187 bombeiros e 739 viaturas.

O incêndio que mobilizava mais meios continuava a ser o de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, onde estavam 1.076 operacionais às 06:45, apoiados por 372 veículos.

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 130 feridos, segundo um balanço provisório divulgado na segunda-feira.

O fogo começou em Escalos Fundeiros, e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no mesmo distrito.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

O comandante operacional da Proteção Civil, Vítor Vaz Pinto, disse hoje à Lusa estar confiante de que o incêndio vai ser dado como dominado em 24 horas, caso não haja alteração das condições atmosféricas.

Também o incêndio em Góis ainda estava em curso às 06:45, estando a ser combatido por 690 homens e 235 viaturas, segundo a ANPC.

Ainda no distrito de Coimbra, as chamas em Penela estavam em fase de conclusão, estando esta manhã no local 158 operacionais, assistidos por 50 viaturas.

Em Oleiros, distrito de Castelo Branco, mantinham-se os 101 bombeiros e 35 veículos, num incêndio que também já se encontrava em fase de conclusão.

Também no incêndio em Alvaiázere, distrito de Leiria, que se encontrava em fase de resolução, mantinham-se os mesmos 95 operacionais e 30 veículos que estiveram no local durante a madrugada.

No mesmo distrito, o incêndio em Porto de Mós, que se encontrava em fase de conclusão, já não registava nenhum meio no local.

Chamas em Góis e Pampilhosa da Serra mobilizam meios aéreos

Os meios aéreos foram mobilizados para combater hoje de manhã o incêndio de Góis e Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, informou fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS).

Durante a madrugada, por volta das 04:00, a aldeia de Braçal, no concelho de Pampilhosa da Serra, teve de ser evacuada "por precaução", retirando 15 pessoas daquela localidade, acrescentou fonte do CDOS de Coimbra.

De acordo com a mesma fonte, não se registam casas danificadas pelo incêndio.

De momento, o incêndio no interior do distrito de Coimbra tem três frentes ativas: "uma em direção a Roda Cimeira [concelho de Góis], com um quilómetro de extensão, outra em direção a Braçal [Pampilhosa da Serra] com cerca de dois quilómetros e ainda outra em direção à Ramalheira [Pampilhosa da Serra] com cerca de 1,5 quilómetros".

Esta última frente, acrescentou, está a ser combatida "com recurso a máquinas de rastos".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.