Os cinco homens foram declarados culpados por roubo e violação de uma dinamarquesa de 52 anos, atacada com uma faca quando se perdeu no centro da capital indiana.

A pena aplicada aos cinco homens será pronunciada a 9 de junho, disse o juiz Ramesh Kumar, na presença de muitos parentes dos acusados e jornalistas.

Três menores processados por este caso vão comparecer perante um tribunal de menores. Um outro acusado morreu antes do fim do julgamento.

A turista dinamarquesa, que viajava sozinha e voltava de uma visita ao Taj Mahal, em Agra, aproximou-se de um grupo de homens para pedir informações para voltar para o seu hotel no centro da cidade.

Esta agressão, ocorrida em janeiro de 2014, representou mais um episódio de série de ataques cometidos contra mulheres estrangeiras, trazendo novamente ao de cima o debate sobre a segurança das mulheres na Índia.

Pouco antes da agressão contra a turista dinamarquesa, uma turista polaca e a sua irmã mais nova tinham sido drogadas e violadas num carro.

O governo indiano endureceu a lei contra as agressões sexuais após a violação coletiva, em 2012, de uma estudante que viajava de autocarro, um crime que comoveu o país.

Na segunda-feira, os cinco acusados não reagiram ao veredicto. Nem a vítima, nem os familiares estavam presentes.

Com as novas leis, a violação coletiva pode ser punida com, no mínimo, 20 anos de prisão e uma multa, e pode chegar até à prisão perpétua.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.