Em Portugal, 33 pessoas foram mortas este ano em contexto de violência doméstica, entre as quais 25 mulheres adultas, uma criança e sete homens, segundo dados do Governo.

O Observatório de Mulheres Assassinadas, da União de Mulheres Alternativa e Resposta, uma das entidades que organizam a marcha de hoje, indicou que mais de 500 mulheres foram assassinadas nos últimos 15 anos em situações de violência conjugal.

A marcha em Lisboa decorre a partir das 17:30, na zona do Intendente, e contará com a presença de dirigentes partidários e membros do Governo, entre os quais a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, e a secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro.

Associando-se ao dia, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visita o Espaço Júlia, em Lisboa, onde se atendem vítimas de violência doméstica. O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, acompanha o chefe de Estado nesta visita.

Ainda neste âmbito, a Procuradora-Geral da República, Lucília Gago, visita o Gabinete de Apoio à Vítima em Loures.

Também estão previstas iniciativas em Angra do Heroísmo, Aveiro, Bragança, Covilhã, Funchal, Guarda, Leiria, Matosinhos, Sintra e Viana do Castelo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.