O Ministério Público acusou de cinco crimes uma ex-funcionária da Segurança Social do Centro Distrital de Coimbra de cinco crimes por, entre 2014 e 2018, ter inventado 100 grávidas para se apropriar dos subsídios.

Em causa estão 631 357, 50 euros a título de abono de família pré-natal, escreve o Jornal de Notícias.

O abono de família pré-natal é uma prestação social criada em 2008 para incentivar a natalidade.

A ex-funcionária vai responder pelos crimes de acesso ilegítimo, falsidade informática, burla informática e nas comunicações, peculato e branqueamento de capitais.

O Ministério Público quer ainda que esta seja obrigada a restituir ao Estado o valor desviado, que se tentou recuperar sem sucesso.

A ex-funcionária é igualmente acusada de inventar quatro crianças para receber os respetivos abonos de família.

A arguida foi detida em março de 2019 pela polícia judiciária, mas posteriormente libertada sem suspensão de funções. No entanto, foi demitida pela Segurança Social.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.