"Alguém que desce tão baixo de nível, até ao ponto de inventar notícias de morte, tudo pela vontade insaciável de criar confusão e tumulto político em Angola. Até que ponto chega o egoísmo, e ambição desmedida destas pessoas, até ao ponto de ignorar que existem familiares e amigos.... Oportunistas e criadores de falsas notícias", escreveu Isabel dos Santos na rede social Instagram, numa publicação que tem apenas algumas horas e que faz referência ao ativista Rafael Marques, ao jornal Maka Angola e ao Jornal Folha 8, ambos críticos do governo angolano.

Apesar de Isabel dos Santos não o afirmar diretamente, em causa estarão, no caso destas publicações, notícias de um alegado agravamento do estado de saúde do líder de angolano, o que está ainda por confirmar oficialmente.

Escreve o Folha 8 que José Eduardo dos Santos terá sido obrigado a regressar de urgência a Espanha, estando em causa o tratamento de uma doença de foro oncológico. O estado de saúde do presidente estará, segundo o Maka Angola a "causar grande apreensão entre as figuras cimeiras do MPLA, o partido que governa Angola há quase 42 anos".

Na sequência dos rumores também o ativista Luaty Beirão se manifestou através da rede social Facebook.

"As notícias não são boas, nada boas. Há alguns anos que andamos a receber sinais da degradação do estado de saúde do Presidente da República e constatando o óbvio: o que quer que seja que lhe esteja a consumir, está a avançar e parece ser irreversível. (...) José Eduardo fez muito mal a este país e a este povo sofrido, mas a morte é uma saída muito fácil de cena. Ele deve continuar vivo (...) para ver que não irá ser lembrado como um "bom patriota" pela longa lista de tropelias da qual foi promotor. (...) Rápidas melhoras senhor presidente", pode ler-se na publicação do ativista.

José Eduardo dos Santos não integra as listas do partido às eleições gerais deste ano, encabeçadas pelo general João Lourenço, candidato a Presidente da República de Angola.

A posição foi transmitida por José Eduardo dos Santos no discurso de abertura da reunião do Comité Central do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) que decorreu em Luanda a 3 de fevereiro deste ano, com a aprovação da lista de candidatos do partido a deputados nas eleições gerais de agosto em agenda.

José Eduardo dos Santos é Presidente de Angola desde setembro de 1979, cargo que assumiu após a morte de Agostinho Neto, o primeiro Presidente angolano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.