De acordo com o britânico The Guardian, este anúncio implica a restrição de circulação de mais de 60 milhões de pessoas.

O decreto, que entra em vigor já nesta terça-feira, prevê a proibição de todos os eventos públicos, encerramento de cinemas, teatros, ginásios, discotecas e bares, funerais, casamentos e todos os eventos desportivos, incluindo jogos da Série A.

Adicionalmente, e como já tinha sido anteriormente anunciado, todas as escolas e universidades permanecerão fechadas até 3 de abril.

"Adotámos uma nova medida baseada numa suposição: não há tempo"

O jornal italiano La Repubblica escreve que o primeiro-ministro chegou à sala de imprensa sozinho naquele que foi, sem dúvida, o anúncio mais dramático de sua experiência no governo: "Adotámos uma nova medida baseada numa suposição: não há tempo", referiu.

"Os números dizem-nos que estamos a ter um crescimento grande das infecções, das pessoas hospitalizadas (...) e, infelizmente, também das pessoas falecidas. Por isso, os nossos hábitos, devem ser mudados" e "devem ser mudados agora", pelo que decidi "adotar imediatamente medidas ainda mais rigorosas, mais fortes ".

Esta segunda-feira, Itália registou mais 97 mortes devido a infeção por Covid-19, ascendendo a 463  o número global de vítimas.

Itália é, recorde-se, o país europeu mais afetado pelo surto de Covid-19, estando mais de 9 mil pessoas infetadas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.