A cerimónia de tomada de posse do 38.º presidente do Brasil começou com um desfile da Catedral de Brasília até ao Congresso.

No juramento, Bolsonaro prometeu "defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem-geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil".

As mesmas palavras foram depois repetidas pelo vice-presidente, o general Hamilton Mourão.

Após o juramento, no discurso do agora Presidente do Brasil, Bolsonaro começou por "agradecer a Deus por estar vivo, que, pelas mãos de profissionais" que "operaram um verdadeiro milagre".

"Com humildade, volto a esta casa, onde por 28 anos me empenhei em servir a nação brasileira", proferiu Jair Bolsonaro, que considerou ter "travado muito embates" e ter "acumulado experiências e aprendizagens que me deram a oportunidade de crescer e amadurecer".

"Volto a esta casa, não mais como deputado, mas como Presidente da República Federativa do Brasil, mandato a mim confiado pela vontade soberana do povo brasileiro", declarou.

"Hoje aqui estou, fortalecido, emocionado e profundamente agradecido a Deus, pela minha vida, e aos brasileiros, que confiaram a mim a honrosa missão de governar o Brasil, neste período de grandes desafios e ao mesmo tempo de enorme esperança, governado com vocês", disse Jair Bolsonaro.

No momento solene, Bolsonaro convocou "cada um dos congressistas" para o "ajudarem na missão de restaurar e de reerguer a nossa pátria, libertando-a definitivamente do jogo da corrupção, da criminalidade, da irresponsabilidade económica e da submissão ideológica".

O Presidente do Brasil considerou que neste momento o país tem "uma oportunidade única" de reconstrução e de "resgatar a esperança dos nossos compatriotas", e está convicto de que o Brasil enfrentará "enormes desafios, mas se tivermos a sabedoria de ouvir a voz do povo, alcançaremos o êxito nos nossos objetivos".

"Vamos unir o povo, valorizar a família, respeitar as religiões e a nossa tradição judaico-cristã, combater a ideologia de género, conservando os nossos valores. O Brasil voltará a ser um país livre das amarras ideológicas", defendeu.

"Precisamos de criar um ciclo virtuoso para a economia, que traga a confiança necessária para permitir abrir o nosso mercado ao comércio internacional, estimulando a competição, a produtividade e a eficácia sem o viés ideológico", disse o novo chefe de Estado brasileiro no discurso de tomada de posse.

Bolsonaro admitiu "pretender partilhar o poder de forma progressiva, responsável e consciente".

"Uma das minhas prioridades é proteger e revigorar a democracia brasileira", apontou.

"Hoje começamos um trabalho árduo, para que o Brasil inicie um novo capítulo da sua história, no qual será visto como um país forte, pujante, confiante e ousado. A política externa retomará o seu papel na defesa da soberania, na construção da grandeza e no fomento ao desenvolvimento do Brasil", defendeu.

O agora Presidente do Brasil encerrou o seu discurso com a frase "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos", que foi o seu slogan de campanha.

Centenas de brasileiros concentraram-se na Praça dos Três Poderes, em frente do Palácio do Planalto, em Brasília, num clima de exaltação.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.