“Quero obviamente cumprimentar Francisco Rodrigues dos Santos, ganhou esta votação e tem todo o direito de apresentar as listas aos órgãos nacionais do partido”, disse João Almeida, em declarações aos jornalistas após serem divulgados os resultados da votação das moções de estratégia global, cerca das 03:40.

João Almeida disse que não apresentará listas para os órgãos de direção mas irá apresentar uma lista própria ao Conselho Nacional por ser o órgão que representa “o parlamento do partido” sendo “natural” que ali estejam representadas “todas as sensibilidades”.

“Quero assinalar que foi a maior votação de sempre num congresso do CDS o que é importante, num momento difícil que o CDS vive ter tanta gente a votar num congresso e a pronunciar-se sobre qual é o caminho a seguir”, considerou.

João Almeida recusou que a sua continuação como deputado possa estar em causa e disse que irá colaborar “como sempre” com o partido.

O deputado agradeceu ainda aos que votaram na sua moção de estratégia, afirmando que foi “muita gente”.

Filipe Lobo d'Ávila saúda Chicão

Filipe Lobo d'Ávila, candidato derrotado, saudou o vencedor, Francisco Rodrigues dos Santos, e prometeu, tal como João Almeida, continuar a participar na vida do partido, no Conselho Nacional.

Minutos depois de terem sido proclamados os resultados da votação das moções de estratégia global, depois das 03:30, em que a de Rodrigues dos Santos foi a mais votada, Lobo d'Ávila não disse se ficou desiludido com o resultado.

“Foi o resultado que os congressistas quiseram dar”, admitiu, antes de “dar os parabéns ao vencedor”.

De resto, prometeu que continuará a fazer aquilo que o grupo Juntos pelo Futuro fez nos últimos anos, “participando no `parlamento´ interno do CDS”, ou seja, no conselho nacional, órgão mais importante entre congressos´, para o qual voltará a apresentar uma lista nas eleições que .

E ainda procurar que “o CDS possa cumprir os objetivos” que definiu paria o congresso, ou seja, de “recuperar a credibilidade, a confiança dos portugueses e ter uma mensagem que seja clara e percetível”.

“Para que nos concentremos a puxar as pessoas que estão lá fora”, concluiu.

A moção de estratégia de Francisco Rodrigues dos Santos foi a mais votada hoje, com 671 votos, o que lhe confere o direito de apresentar listas aos órgãos de direção do partido.

A segunda mais votada foi a de João Almeida, com 562 votos e a terceira a de Filipe Lobo d’Ávila, com 209, com mais de 1440 congressistas a votar em urna, entre as 23:50 de sábado e as 03:00 de domingo.

A eleição, por voto secreto, para os órgãos dirigentes decorre domingo durante a manhã.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.