A escolha de Haaland, eleita pelo Estado do Novo México, informação obtida pela AP junto de duas fontes e avançada também por vários meios locais, vai torná-la na primeira nativa a liderar a agência federal que controla as tribos dos EUA.

Líderes tribais e ativistas, bem como personalidades dos democratas, elogiaram a escolha de Haaland, depois de, nas últimas semanas, terem defendido a sua escolha.

Com a nomeação de Haaland, os povos indígenas vão ter pela primeira vez um nativo americano na mesa onde as principais decisões são tomadas, disse O. J. Semans, um Rosebud Sioux. “Torna evidente que ainda existem índios”, acrescentou.

Haaland, 60 anos, integra o Laguna Pueblo e, como gosta de dizer, é a residente no Novo México de uma 35.ª geração.

O cargo de secretária do Interior vai colocá-la a dirigir um Departamento que tem uma influência muito grande sobre as 574 tribos reconhecidas ao nível federal e muitas das terras públicas, cursos de água, vida selvagem, parques nacionais e riquezas minerais dos EUA.

A sua escolha quebra um registo de 245 anos de dirigentes não-nativos, homens na sua maioria, na direção dos assuntos dos índios americanos. O governo federal trabalhou com frequência para lhes retirar terras e, até há pouco, para os integrar na cultura dos brancos.

O Departamento do Interior, que gere um quinto do território dos EUA, vai ter um papel fundamental no cumprimento da promessa de Biden de lutar contra as alterações climáticas, uma das suas prioridades.

O presidente da Nação Navajo, Jonathan Nez, descreveu-se como “muito satisfeito” e, em comunicado, afirmou: “É verdadeiramente um dia histórico e inédito para o povo indígena”.

A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, tinha dito na quarta-feira que Haaland seria uma “excelente escolha” para o cargo e que “era dos mais respeitados e dos melhores membros do Congresso” com quem tinha trabalhado.

Haaland é vice-presidente da comissão dos Recursos Naturais da Câmara dos Representantes. Antes dirigiu o Partido Democrata no Novo México, foi administradora tribal e administradora de uma organização que trabalhava com adultos com problemas de desenvolvimento.

Filha de ex-militares, Haaland descreve-se como uma mãe solteira, que chegou a depender de senhas de alimentação. Também já disse que ainda está a pagar dívidas que contraiu para estudar e fazer o curso de Direito, no seu caso, e estudos pré-universitários, no da sua filha.

O Departamento do Interior tem um largo raio de ação, com a sua autoridade a incluir a gestão das relações federais com as tribos, a administração de dezenas de milhões de hectares e direitos minerais detidos por conta dos nativos americanos e do Alasca, a gestão dos parques nacionais e tomar decisões que afetam milhões de quilómetros quadrados dos EUA, incluindo as licenças das indústrias do petróleo, gás e mineração.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.