"Jorge Jesus contribuiu e contribui para projetar o prestígio de Portugal no mundo do desporto, mas em geral em termos sociais, em particular num país que nos é muito querido", disse Marcelo Rebelo de Sousa durante a cerimónia, que decorreu esta tarde no Palácio de Belém, em Lisboa.

O Presidente assinalou que também os portugueses “vibraram emocionalmente” com os triunfos do técnico de 65 anos no Brasil, ao serviço do Flamengo.

O treinador falou logo a seguir ao Presidente de República, começando por dizer que conhece bem a história de Infante D. Henrique, até porque este nome faz parte do seu quotidiano, uma vez que atravessa uma avenida com o mesmo nome no Rio de Janeiro.

“Claro que não fomos nós - eu e a minha equipa técnica – que descobrimos o Brasil […], também não fui eu que dei a independência, mas fomos nós que em 23 e em 24 de novembro conquistámos dois títulos no Brasil, vamos ficar também na história do Brasil.”

A cerimónia contou com a presença da família do treinador, dos presidentes do Sporting, Frederico Varandas, do Benfica, Luís Filipe Vieira, e do Sporting de Braga, António Salvador, da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, e da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença.

Jorge Jesus sublinhou a ligação afetiva manifestada pelo povo brasileiro em relação a Portugal, enfatizando que é uma "grande honra" representar o país no estrangeiro.

Também Otávio Machado, Bagão Félix, Manuel Sérgio, o antigo guarda-redes Júlio César e Pimenta Machado marcaram presença.

Na cerimónia, o Presidente da República lembrou que esta Ordem é concedida a personalidades que projetam o nome de Portugal no mundo, e que é uma tradição presidencial agraciarem-se treinadores.

Jorge Jesus concluiu, já com a voz trémula, dizendo que se sente "orgulhoso de ser português".

A seguir, o agora Comendador respondeu a algumas perguntas dos jornalistas. Quando questionado sobre o significado desta distinção, o técnico afirmou que esta é "uma condecoração completamente diferente" e que "a maior vitória é sentir o carinho e o consenso do povo português em relação ao treinador Jorge Jesus".

A decisão de Marcelo Rebelo de Sousa de condecorar o treinador português foi divulgada no dia 21 de dezembro, logo após a final do campeonato de mundo de clubes, em que o Flamengo perdeu com o Liverpool por 1-0 no prolongamento.

Jorge Fernando Pinheiro de Jesus, 65 anos, começou a carreira como treinador em 1990, no Amora, e conquistou três títulos de campeão nacional pelo Benfica.

O seu palmarés como treinador inclui uma Taça de Portugal, cinco Taças da Liga e uma Supertaça pelo Benfica, uma Taça da Liga e uma Supertaça pelo Sporting, uma Taça Intertoto da UEFA pelo Sporting de Braga e uma Supertaça pelo Al-Hilal, da Arábia Saudita.

Este ano, levou o Flamengo a conquistar a Taça Libertadores e o campeonato brasileiro, mas falhou o mundial de clubes ao perder na final com os ingleses do Liverpool.

A Ordem do Infante D. Henrique destina-se a distinguir quem prestou “serviços relevantes a Portugal, no País e no estrangeiro, assim como serviços na expansão da cultura portuguesa ou para conhecimento de Portugal, da sua História e dos seus valores”.

A cerimónia realizou-se no Palácio de Belém, em Lisboa.

(Notícia atualizada às 19h20)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.