"Infelizmente, posso confirmar que depois dos tiroteios desta noite, em Creggan, morreu uma mulher de 29 anos", afirmou o vice-chefe da polícia Mark Hamilton, citado num comunicado divulgado no Twitter, onde também divulgou a identidade da vítima.

A polícia da Irlanda do Norte está a levar a cabo uma investigação em que aponta dissidentes republicanos como possíveis autores do crime.

"É provável que o Novo IRA esteja por detrás" desta morte, afirmou o inspetor da polícia da Irlanda do Norte, Mark Hamilton, acrescentando que a polícia está "a tratar do caso como um incidente terrorista".

Segundo Mark Hamilton, por volta das 23:00 de quinta-feira, um homem começou a disparar contra a polícia e Lyra McKee "ficou ferida, tendo sido retirada da zona num carro policial até ao hospital, mas, infelizmente, acabou por falecer".

Nas redes sociais vários colegas identificaram a vítima, Lyra McKee, como sendo jornalista. O britânico The Guardian lembra o trabalho da repórter em publicações como o BuzzFeed e a Atlantic.

A imprensa nacional escreve que vários polícias foram atacados com tiros e explosivos do tipo Molotov durante uma operação de segurança no bairro onde Lyra McKee foi baleada. Foram também incendiados dois veículos.

Já foi aberta uma investigação ao caso.

O primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, já condenou o assassinato. "Não podemos permitir que aqueles que querem propagar a violência, o medo e o ódio nos arrastem de volta ao passado", disse.

[Notícia atualizada às 12h20]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.